Precisamos falar do Facebook: Ainda vale a pena anunciar?

Vamos fazer um texto diferente. Não vamos falar de estatísticas, números, gráficos ou qualquer outro dado mensurável. Vamos falar do que você provavelmente vê por aí.

Vira e mexe e a maior rede social do mundo, o Facebook, passa por algumas polêmicas envolvendo a privacidade dos seus usuários ou ao redor do conteúdo veiculado nela.

Inclusive existem campanhas e um número gigantesco de pessoas contratadas para ajudar a eliminar ou diminuir bastante o alastramento das chamadas ˜fake news˜.

Tendo isso em mente, é totalmente compreensível que talvez você, dono(a) de um pequeno negócio, comece a se perguntar se vale a pena investir tempo e dinheiro no Facebook.

Para responder essa pergunta, vou te fazer outra: sejamos sinceros, você viu alguém saindo do Facebook por causa dos escândalos políticos nos Estados Unidos?

Provavelmente não. Eu mesma só vi um amigo que resolveu largar a rede, mas voltou menos de uma semana depois mais ativo do que nunca em suas publicações.

E sabe porquê? Pois as pessoas gostam de estar envolvidas naquilo que está acontecendo. No último mês, por exemplo, estávamos passando por um grande evento mundial.

Sim, a Copa! O futebol encanta as pessoas, move massas e todo mundo tem opiniões e visões para dividir, nem que sejam memes ou textões. E tudo isso pelo Facebook.

Ou elas simplesmente querem mostrar que estão reunidos com a família ou amigos bebendo em um bar. Normal! É para isso que uma rede social realmente serve.

E enquanto estamos na Copa, o poder de envolvimento que uma publicação pode ter é tamanha que pode virar até mesmo matéria em diversos veículos.

Foi o caso do bar em Vila da Penha, bairro da Zona Norte aqui do Rio de Janeiro, que se aproveitou do fato do Neymar não passar muito tempo em pé no campo.

Combinando a oferta com a oportunidade, o bar ganhou destaque por oferecer um shot por conta da casa a cada queda do jogador na partida contra a Sérvia.

Ironicamente ele não caiu muito durante a partida, mas o Marketing utilizado valeu para fazer a casa lotar rapidamente no dia em questão e nos outros dias da Copa.

Outro momento sensível que passaremos em breve, mas cuja fomentação já está acontecendo há uns bons meses, quiçá anos, são as eleições!

Tal qual o futebol, as pessoas defendem seus pontos de vista com afinco – e mesmo que existam muitos que não querem compartilhar, existem tantos que querem se informar.

Ou simplesmente ficarem por dentro daquilo que estão comentando, funcionando como uma espécie de termômetro político.

As pessoas utilizam as redes sociais ao invés de lerem o jornal. Utilizam as redes sociais atrás de opiniões e para entrar em discussões. Ou apenas para fazer piadas mesmo.

Não pense que é só de eventos externos que vive o Facebook. Tudo está propenso a cair na rede, seja um dia de chuva ou de arco-íris – que todo mundo tira foto quando aparece.

Compartilhamos praticamente tudo da nossa vida: os eventos que vamos, as tristezas pelas quais passamos, as alegrias que vivemos e as conquistas obtidas.

E o mais importante: as pessoas gostam de ver, as pessoas gostam de participar, as pessoas gostam de dar até bom dia e sentem falta se percebem que sua rede está morna.

E o que eu quero dizer com tudo isso? Bom, você acha mesmo que o Facebook vai acabar muito em breve? Tão breve que simplesmente não valha anunciar agora?

Dificilmente.

Nos tornamos dependentes da rede social e, enquanto houver público, existe espaço para seus anúncios funcionarem.

A prova disso está no Facebook Marketplace, que funciona como uma espécie de OLX dentro da rede, fazendo crescer a venda de usados entre os usuários.

Até mesmo vagas de emprego ganharam espaço dedicado na rede para que sejam veiculadas da maneira correta e alcançar mais pessoas.

 

Conteúdo é importante, conteúdo é Rei

Mas vamos dar uma pausa na palavra “anúncio” e falar em “Conteúdo”, pois, como bem sabemos, uma rede social cria espaço para a amplificação do mesmo.

O bom Conteúdo gera engajamento (curtidas, comentários, compartilhamento), que faz parte do processo de gerar credibilidade e autoridade para a marca.

O Conteúdo deve ser realmente relevante e valioso ao público. Lembre-se que em um mundo tão cheio de informações, a competição pelo engajamento é alta.

Bons exemplos de Conteúdo são artigos em blogs, matérias, ebooks, infográficos, vídeos e mais, que podem ser compartilhados nas redes sociais, email, landing page, site, Whastapp.

O Conteúdo tem a veia forte em educação do público, mas também pode (e deve) entreter – afinal, é para isso que pagamos a internet.

Busque fazer conteúdos que divirtam, instiguem, emocionem e faça o público participar, trocar ideias e muito mais.

Se você não tem um bom Conteúdo, ou simplesmente um Conteúdo, talvez você deva esperar um pouco mais e se estruturar antes de começar a investir em Ads.

Mas se não é o seu caso, podemos avançar!

 

Anúncios e o Facebook Business

Para que você comece a trabalhar nos anúncios para seu pequeno negócio, o Facebook Business Manager (ou o Gerenciador de Negócios do Facebook) é a boa pedida.

O Gerenciador de Negócios pode assustar por causa da sua interface nada amigável, mas juro que ele deixa sua vida mais fácil.

E o melhor é que, através dele, você consegue escolher N definições para sua campanha que vão ajudá-lo a segmentar melhor o público e otimizar seu dinheiro!

Para se ter ideia do poder dele, usando o Facebook Pixel, por exemplo, você conseguirá “rastrear” o público que visita seu site e criar anúncios voltados para eles.

Os formatos para os anúncios também são bastante completos, dando ao anunciante várias possibilidades de falar sobre seu negócio e realizar ofertas.

Entre as formas mais comuns de realizar anúncios estão: a imagem clássica, o vídeo e o carrossel.

O posicionamento dos anúncios também diferem e podem ser escolhidos a partir da estratégia adotada pelo anunciante. As possibilidades são muitas, mas muitas mesmo!

O Facebook entrega várias opções de anúncios para que seu produto ou serviço ganhe destaque. Não é #publi do Facebook, é a mais pura verdade.

E se você tem interesse em anunciar através do Instagram, você pode fazê-lo através do Facebook: seja para anúncios na timeline ou pelo Stories.

E aí, pronto para anunciar no Facebook?

Marketing Digital para instituições de ensino