Funil de vendas no Facebook: como aumentar suas vendas!

Se você está no mundo do Marketing Digital por um tantinho mínimo de tempo, você já deve ter ouvido falar sobre Facebook Ads e, estando aqui, é seguro dizer que quer apostar nele.

Bem, já podemos dizer que você você está indo pelo caminho certo!

Afinal, é desnecessário falar que o Facebook é a maior rede social do mundo, e que o Brasil é um dos maiores players com milhares de pessoas compartilhando e assistindo conteúdo o tempo todo!

Seguindo este raciocínio, é fácil chegar ao resultado óbvio: são milhões de possibilidades de vendas, negócios e divulgação da sua marca através da rede social.

Por isso que, se você escolheu investir em Facebook Ads, está no lugar certo! Agora, vamos dissecar um pouco mais dessa ferramenta!

 

Segmentação de Público no Facebook

Se concordamos até aqui, precisamos falar também das formas de anúncio usando a plataforma. O Facebook oferece segmentações que fazem os olhos de qualquer um brilhar.

Além das segmentações mais básicas como gênero, cidade ou idade do público-alvo, você pode ir além, muito além!

Você pode segmentar o público através de cargos, formação, localização, hobbies, entretenimento favorito, estado civil e muito mais. Até renda!

Outra funcionalidade útil para quem trabalha com anúncios na rede social, é a possibilidade de segmentar o mesmo para desktop e celular.

O motivo de ser útil está no fato de que as pessoas se sentem mais confortáveis em comprar quando estão no computador do que no aparelho celular.

Portanto, anunciar em um dispositivo em que o lead está mais disposto a realizar uma compra é mais jogo em alguns casos.

 

Tipos de anúncio no Facebook

A forma como seu anúncio chegará ao seu público também é importante. Em uma rede social onde o visual toma conta, é imprescindível que sua mensagem tire o maior proveito disso.

Seja através de imagens, vídeos, carrosséis ou apresentações multimídia, o Facebook apresenta uma verdadeira variedade de formas de anúncio quando o assunto é venda.

Para cada um desses existe um objetivo ideal. Se você quer mostrar o catálogo de estampas da sua loja de camisas, por exemplo, uma boa aposta é o carrossel.

Por outro lado, se você quiser entreter seu público mostrando as funcionalidades do seu produto ou como ele se encaixa em diferentes cenários, um vídeo pode ser uma opção!

 

Funil de vendas

O funil de vendas é outro conceito que deve ser absorvido por você que quer iniciar sua estratégia de Marketing Digital, seja utilizando o Facebook Ads ou não.

Então, para conceituar, o Funil de Vendas é um conjunto de gatilhos e etapas que serve como suporte para a Jornada de Compra das suas personas.

A Jornada de Compra, por sua vez, é o caminho percorrido pela persona do momento zero até o fechamento da compra.

Exemplificando através de situações, podemos dizer que o Funil de Vendas serve para acompanhar o seu cliente desde a entrada na loja até o caixa.

 

Quais são os estágios do funil de vendas?

Nós costumamos dividir nosso Funil de Vendas em quatro partes, que vamos detalhar logo a seguir:

  1. Primeira etapa do Funil: assim como todo funil doméstico, seu topo é largo. É ali que estão pessoas nas mais diversas situações, entre elas algumas prontas para decidir uma compra e outras não. Como elas chegam através de diversos canais, o filtro começa através de formulários ou landing pages;
  2. Segunda etapa do Funil: é o momento em que estabelecemos um relacionamento com seu lead, identificando quem é o melhor match para o seu negócio e, assim, qualifica-lo;
  3. Terceira etapa do Funil: chegamos nas Oportunidades. Aqui estão os leads que interagiram com seu conteúdo e materiais ricos, são matchs perfeitos para seu negócio. As Oportunidades já estão prontos para uma abordagem direta de venda;
  4. Quarta etapa do Funil: chegamos ao momento mais esperado, onde o lead se torna cliente. É importante dizer que o seu relacionamento com ele não termina no momento da contratação do seu serviço ou compra do produto. Você deve reter clientes e estimular a compra de novos produtos!

Podemos sintetizar o funil em três momentos:

  • Topo de Funil: aprendizado e descoberta, reconhecimento do problema;
  • Meio de Funil: consideração da solução;
  • Fundo de Funil: decisão da compra.

 

A importância do funil de vendas no Facebook Ads

Bom, agora que estamos com as duas partes bem-conceituadas em mente, podemos fazer uma fusão do Funil de Vendas sendo aplicado no Facebook Ads.

Quando falamos lá no início sobre o Facebook Ads e todas as possibilidades que o mesmo traz para você e para seu negócio, talvez tenha ficado claro que é fácil se animar demais.

Embora a animação esteja ligada à motivação, também devemos lembrar que é necessário saber dosar e pensar estrategicamente, visto que é fácil perder dinheiro nessa também.

O que acontece é que o Facebook é excelente, mas também é meio ruim para realizar vendas. Como assim, você me pergunta.

Como vimos, é fácil segmentar seu público para atingi-los com perfeição. Os criativos, por sua vez, são maravilhosos para passar sua mensagem de inúmeras formas.

No entanto, as pessoas estão no Facebook para se entreter, para não pensar. Para responder o quis do Buzzfeed, postar uma ou outra foto e pronto.

E é aí que está o desafio!

 

Por que um Funil de Vendas no Facebook é tão importante?

Como vimos até agora, o processo de levar seu cliente até o caixa pode ser bastante complexo. Seguindo nossa situação-imaginária, são vários os corredores em que ele pode entrar.

E quanto mais corredores ele entra, mais demorado ou distante do caixa ele está. Em um desses corredores, por exemplo, ele pode encontrar uma saída lateral da loja.

Ou enxergar uma promoção do outro lado da rua pela janela e simplesmente ir embora sem nem dizer tchau.

Portanto, o Funil de Vendas no Facebook é importante para que você o acompanhe em todas as etapas e tente garantir que ele chegue até o caixa.

Sem dizer que poucas empresas sabem realizar todo esse processo. Logo, você estará um passo à frente dos demais.

No momento em que você realiza campanhas atrás de campanhas sem entender os estágios em que as pessoas estão, você está simplesmente perdendo dinheiro.

Por quê? Pois você está investindo sem saber em que momento ela está, o que realmente procura, quais são suas expectativas. Enfim, está atirando para todos os lados.

Não atire para todos os lados. Ao contrário, tente buscar sempre o produto ideal para o público ideal daquele momento.

 

Em termos práticos:

 

  • Transformando pessoas em Leads

 

Imagine que você não faça ideia de que Baton é um chocolate, certo? Nesse sentido, você não acharia estranho alguém virar e falar para você “Compre Baton, Compre Baton, Compre Baton”?

Como você vai comprar algo que não faz ideia do que seja só porque tem alguém insistindo para que você o faça?

Não faz nem sentido, né? Bom, aí é que começa nosso papo neste tópico. É importante que você fale sobre o produto/marca/serviço, como se estivesse fazendo uma apresentação: é um chocolate ao leite, prático, barato, saboroso, todo mundo gosta etc.

É importante criar materiais e conteúdos que façam a pessoa se interessar, mas sem que seja “pedir demais dela”. Alguns exemplos são quizzes, baixar ebooks, assistir vídeos e se colocar à disposição para contato.

 

  • Transformando pessoas em Leads com conteúdo relevante

 

Nesta parte você deve atrair pessoas com conteúdo que realmente faça diferença, que seja relevante de fato. Assim, ela se sentirá mais interessada em você.

Através de infográficos, curiosidades, artigos, vídeos e outras várias possibilidades, você pode fazer esta parte funcionar.

Depois de ela ter interagido com seu material, aí sim você pode começar a apostar em anúncios que sejam mais voltados para venda.

É compreensível querer pular logo para a parte do cartão de crédito, mas é fundamental que a marca entenda que a compra e fidelização será bem mais fácil se o relacionamento estiver estreito.

 

  • Transformando pessoas em Leads com brindes

 

Existe um fenômeno que acontece quando falamos que “você vai ganhar um brinde”. As pessoas são capazes de criar filas só para pegar o copo de um banco.

Dar algo de valor para as pessoas geram nela uma sensação positiva com relação a sua marca. Elas estarão mais à vontade para avançar pela Jornada de Compra até chegar ao caixa.

Se serve como incentivo ainda maior, muitas pessoas tendem a sentir que são obrigadas a retribuir o presente. Isto é, elas acabam comprando o produto por causa do brinde.

 

  • Transformando Leads em Oportunidades

 

Uma mudança de nomenclatura traz uma mudança de significado! Lead é aquele que ouviu falar do seu produto e está interessado nele de alguma forma.

Contudo, são pessoas que não estão totalmente preparadas para realizar uma compra e, por isso, é importante não encher essas pessoas de ofertas o tempo todo.

Para que elas se transformem em leads, aumente o interesse das pessoas no seu produto. Não esqueça de sempre estar mostrando as vantagens e soluções da sua marca.

 

  • Vendendo para Oportunidades

 

Faça uma proposta que ele não pode recusar. Free trials são ótimos exemplos para quem comercializa assinaturas de software ou streaming, por exemplo.

Mas não significa que seu negócio não possa ter algo similar, você só tem que achar a oferta correta. Um grande desconto? Um brinde junto com a compra? Pague um, leve outro?

Sendo atraído por uma dessas ofertas, fica muito mais fácil conquista-lo de vez. Mas lembre-se: como falamos no início, a conversão não é tudo.

Não se esqueça, você já tem um relacionamento com essa pessoa, sabe o que ela busca, que tipo de problemas ela tem, faça uma oferta sob medida, seja a solução dos problemas do seu cliente.

 

  • A era pós-conversão

 

Vale lembrar que o seu relacionamento com o cliente não termina no caixa. É importante que seu cliente tenha a vontade de voltar e não só isso: fazer com que ele fale de você.

Nada melhor para uma marca do que um cliente ou consumidor poste uma foto do seu produto no Instagram feliz da vida de tê-lo comprado.

Ainda mais legal é que ele defenda sua marca com unhas e dentes (alô, Apple!) ou tire onda por estar usando algo seu (como o Starbucks).

Para manter essa audiência, procure realizar ações exclusivas, como descontos ou a possibilidade de ter algo antes de todo mundo.

Manter o relacionamento é tão importante quanto tudo que falamos ao longo desse texto. Não nade para morrer na praia, fechou?

 

Como aproveitar o Facebook para vendas?

Considere que nosso mindset aqui está voltado para não perder dinheiro no Facebook e otimizar a verba para atrair clientes, certo?

Por isso é importante investir em conteúdo que una a parte do entretenimento com a parte prática de vendas.

Investindo em bom conteúdo e fazendo o target certo na hora de configurar sua campanha, o resultado será sucesso.

Para isso, você deve:

 

1 – Chamar a atenção

Através de conteúdo único, criativo e excepcional! Chame a atenção do seu target, fale dos interesses dele, suas particularidades e dos seus problemas. Inicie um papo.

O objetivo desse papo também tem que estar claro: você deve atrair esse target para o seu site com o intuito de construir uma audiência.

Nunca faça conteúdo apenas por fazer!

 

2 – Saber chamar a atenção

Como falamos acima, fazer conteúdo apenas por fazer é lotar seu feed de textos e imagens que não têm uma função definida, e que se perdem na narrativa.

Explore os criativos do Facebook, mas faça também imagens e textos impactantes. Enquanto produz tais imagens e textos, se pergunte:

Eu clicaria aqui?

Se você levantar os ombros, volte e faça tudo de novo.

 

3 – Saber para quem falar

As configurações de target também pode ser um ponto desafiador, por isso é importante testar, testar, refinar, refinar.

Comece de forma ampla – escolhendo gênero e idade, por exemplo – e, conforme caminha, defina interesses e outros dados disponíveis na ferramenta.

A localização do anúncio também é importante neste tópico. Se o objetivo é levar pessoas para o seu site, então aposte no CPC mais barato, pelo menos neste primeiro momento.

 

4 – Saber gerar leads

Bom, se o primeiro passo para sua construção de audiência é conseguir levar visitantes para seu site, o segundo é transformá-lo em leads.

Para que ele te dê dados como nome, email ou telefone, de repente, você precisará dar algo em troca. E tem que ser algo de valor, naturalmente!

Embora e-mail, nome e telefone sejam coisas muito banais hoje em dia, as pessoas se mostram relutantes em fornecer online, principalmente se ela não conhece a empresa.

Exemplos de conteúdo de valor em troca de informações de contato:

  • Ebooks;
  • Webinars;
  • Templates;
  • Planilhas;
  • Dicas por email;
  • Descontos.

 

5 – Saber vender para um Lead

Depois de todos os processos que falamos, é de se pensar que converter, isto é, fechar a venda, será moleza, né?

Mas não necessariamente. É importante que você foque seus esforços criativos e comerciais em sua buyer persona.

Seja direto, fale das vantagens do seu produto, ofereça valor de compra para ele. Se for possível, avaliações – de preferência que vá além das estrelinhas – são ótimos meios.

Afinal, todo mundo se sente mais confortável comprando um produto pré-aprovado. Não à toa tantos e tantos coachs utilizam essa forma de persuasão para fechar suas vendas.

 

6 – Saber que o processo não termina na conversão

O pós-venda é tão importante quanto todo o processo pelo qual passamos. Lembre-se que um cliente pode comprar mais de um produto seu!

Ainda mais importante, o cliente tem o poder de indicação muito forte, falando do seu produto para outras pessoas.

 

O que você não deve fazer no Facebook Ads

Nosso mindset aqui é não perder dinheiro e otimizar a verba para atrair clientes. Por isso:

– Apostar em criativos pobres;

– Com baixo valor – não no sentindo monetário;

– Deixar a audiência ampla demais;

– E não metrificar corretamente.

 

Ideias legais para fazer no Facebook Ads

Procure estimular sua audiência com conteúdos e formatos interessantes, como estes:

– Gerar curiosidade;

– Usar a linguagem correta para seu target;

– Ser relevante. Nada de ser mais do mesmo!;

– Usar vídeos!

 

Como vimos, trabalhar Facebook Ads é extenso e complexo, muito mais do que realizar campanhas apenas por realizar. Trabalhando de forma correta e objetiva, traçando porquês para todas as ações, você evitará desperdício de dinheiro, além de atrair as pessoas certas para seu negócio. E, acredite, o processo de fechamento e fidelização ficarão muito mais fáceis depois disso!

 

Erros no funil de vendas